SUP Trotters logo

Welcome to SUP Trotters!

Last paddle board sessions

    • February 2016
    • Avatar

      Serena Ling-Robison at Mariners Cove Mission Bay
      San Diego - United States
      Added on Thu, 11 Feb 2016 20:01:54 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Just paddling... :-)

      3.04 km

      01:19:59

      2.32 km/h

    • Richard van Veen Avatar

      Richard van Veen at Maasvlakte P6
      Maasvlakte - Netherlands
      Added on Thu, 11 Feb 2016 19:31:40 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : Coreban Vibe & SupR Paddles Wave Straigth

      Surf

      Very choppy, strong current, so very hard conditions...but very nice big lines rolled in. Once on a big wave it was so good!!!

      STOKED!

    • Bernard Scouarnec Avatar

      Bernard Scouarnec at treustel
      Île-Tudy - France
      Added on Thu, 11 Feb 2016 19:22:10 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : Quatro performance & Starboard Enduro Fixed

      Surf

    • Gaëtan Miclotte Avatar

      Gaëtan Miclotte at Palm Mar
      Palm-Mar - Spain
      Added on Thu, 11 Feb 2016 18:44:42 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : BARK Competitor & Fanatic Carbon Pro Adjustable

      Family

      11.35 km

      01:36:40

      7.10 km/h

    • Matt Hernandez Avatar

      Matt Hernandez at gulfport lake
      Gulfport - United States
      Added on Thu, 11 Feb 2016 15:47:10 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Fitness

      5.93 km

      00:58:28

      6.18 km/h

    • Kay Kramer Avatar

      Kay Kramer at U Eppendorfer Baum
      Hamburg Winterhude - Germany
      Added on Thu, 11 Feb 2016 13:09:50 +0000

      Session date : 06/02/2016

      Gear used : GONG SUP Couine Marie 11.6

      Just paddling... :-)

      8.0 km

      02:30:00

      3.20 km/h

      Early Saturday morning, visiting a friend in Hamburg and used the time before to explore the upper Alster...great session, meet some other paddlers and I totally agree, Hamburg is like the Amsterdam of the north, a true Mekka for SUP riders! So many beautiful canals, gorgeous bridges and behind every corner you find some new to explore. A good two and a half hour ride and a good old fashioned Chili Con Carne - cowboy receipt - afterwards is all you need for a good day with your friends.

      So if you have the possibility to visit Hamburg, explore it with your SUP or rent one :)

    • Rafael rafilskis71 Avatar

      Rafael rafilskis71 at Foz do Rio Buranhém
      Porto Seguro - Brazil
      Added on Thu, 11 Feb 2016 13:06:13 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : Hupsel Race 12'6" & Quickblade kanaha

      Race

      6.0 km

      00:57:56

      6.31 km/h

      not bad for a doctor after work

    • Heitor Marback Avatar

      Heitor Marback at Itapoã
      Salvador - Brazil
      Added on Thu, 11 Feb 2016 11:29:18 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Just paddling... :-)

      3.36 km

      00:48:14

      4.20 km/h

    • Anthony Johnston Avatar

      Anthony Johnston at Jacobs Well
      Norwell - Australia
      Added on Thu, 11 Feb 2016 08:56:39 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : SIC 14 X Pro & QuickBlade Trifecta

      Just paddling... :-)

      4.06 km

      00:37:37

      6.65 km/h

      Nice & easy tonight .
      Good night all :)

    • Hayato Nishimura Avatar

      Hayato Nishimura at 浜大津
      大津市 - Japan
      Added on Thu, 11 Feb 2016 08:07:13 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Just paddling... :-)

      4.56 km

      00:49:29

      5.63 km/h

    • Stano Hubacek Avatar

      Stano Hubacek at arguineguin
      arguineguin - Spain
      Added on Thu, 11 Feb 2016 07:46:15 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : Bic C-TEC Tracer & Bic 170-210 Carbon ML

      Fitness

      0.0 km

      01:00:00

      0.00 km/h

      technical paddling and buoy turn training

    • Stano Hubacek Avatar

      Stano Hubacek at arguineguin
      arguineguin - Spain
      Added on Thu, 11 Feb 2016 07:44:31 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : RRD Super Sup V2 Wood

      Surf

      0.0 km

      02:00:00

      0.00 km/h

      fun in waves

    • Stano Hubacek Avatar

      Stano Hubacek at amadores
      Puerto Rico de Gran Canaria - Spain
      Added on Thu, 11 Feb 2016 07:42:36 +0000

      Session date : 09/02/2016

      Gear used : Bic C-TEC Tracer & Bic 170-210 Carbon ML

      Fitness

      10.89 km

      01:27:00

      7.51 km/h

      training with race board

    • Hayato Nishimura Avatar

      Hayato Nishimura at Ohtsukyo
      大津市 - Japan
      Added on Thu, 11 Feb 2016 06:35:40 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : HIPOKAMPOS TRIDENT Paddle

      Just paddling... :-)

      3.53 km

      00:38:48

      5.60 km/h

    • Mark Anderson-Jones Avatar

      Mark Anderson-Jones at Te Atatu Peninsula
      Auckland - New Zealand
      Added on Thu, 11 Feb 2016 00:39:43 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : Waiwaka Full Carbon & Waiwaka Carbon Fibre

      Just paddling... :-)

      8.0 km

      02:00:00

      4.00 km/h

      SUP mission up the Henderson Creek at super high tide with Donna, Steph and Bex. Awesome 8km paddle!

    • Avatar

      Artie Ahier at Tofino
      Tofino - Canada
      Added on Wed, 10 Feb 2016 22:22:15 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Touring

      3.87 km

      00:55:21

      4.25 km/h

    • Geraldo Crelier Avatar

      Geraldo Crelier at Costao-prainha
      Itacoatiara - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 22:01:04 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : 10.5 Unblend & Surftech Aluminum Adjustable

      Just paddling... :-)

      3.07 km

      00:44:45

      4.21 km/h

      The jewel of Niterói... Carnaval ends on a SUP ride.

      Soundtrack: Phil Collins - Easy Lover

    • Avatar

      Rachael H at Little Pier
      Los Osos - United States
      Added on Wed, 10 Feb 2016 21:14:30 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Just paddling... :-)

      1.94 km

      00:54:56

      2.15 km/h

    • Anthony Johnston Avatar

      Anthony Johnston at Jacobs Well Queensland Australia
      Jacobs Well - Australia
      Added on Wed, 10 Feb 2016 20:57:09 +0000

      Session date : 11/02/2016

      Gear used : SIC 14 X Pro & QuickBlade Trifecta

      Fitness

      3.35 km

      00:34:34

      5.99 km/h

      Good morning everyone .
      Another beautiful day ahead .
      Have a great day everyone !

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Lagoa Azul
      Angra dos Reis - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 20:05:06 +0000

      Session date : 09/01/2015

      Gear used : Brazzos RACE 12.6

      6.0 km

      01:50:00

      3.28 km/h

      Lagoa Azul

      Mais informações no site www.caminhosdosup.com.br

      Brooke Shields e Christopher Atkins viajaram à Jamaica para gravar o filme Lagoa Azul. Mas poderiam, muito bem, ter ido à Ilha Grande, no estado do Rio de Janeiro. Pelo menos é o que pensavam os moradores da ilha na década de 1980. Foi logo após o lançamento do filme que resolveram mudar o nome da Praia do Sul de Fora para Lagoa Azul. Apesar de todos concordarem que a "lagoa" brasileira era muuuito mais bonita!

      Conversando com os donos da pousada em que me instalei, descobri que o lugar é muito popular. Sua fama está internacionalizada e praticamente todos os visitantes da Ilha Grande passam por lá. Diariamente, dezenas de barcos turísticos ancoram no entorno. Ainda mais na alta temporada. Mas como a pousada era próxima, me sugeriram visitar a lagoa antes das dez horas da manhã.

      No dia seguinte, acordamos às sete horas. Sem nem tomar o café da manhã da pousada, eu e minha mulher subimos na prancha de Stand Up Paddle, ela sentada atrás e eu remando em pé. Não havia vento nem ondas. Nem ninguém acordado. Estava um silêncio completo. Em quinze minutos já estávamos lá.

      Apesar de tudo que tinha ouvido e das fotos que tinha visto, a Lagoa Azul superou muito minhas expectativas. Entre duas ilhas pequenas (Comprida e Redonda) forma-se uma piscina natural com água extremamente clara de tom verde-azulado. São tantos peixes e tartarugas que me senti remando sobre um aquário. De cima da prancha dava para ver até as pedras mais profundas e o chão de areia branca.

      O fundo ficou cada vez mais raso até dar pé. Ficamos andando e nadando por lá sem ninguém em volta. Só depois de uma hora que apareceram dois mergulhadores com cilindros de oxigênio, que logo submergiram e não os vimos mais. Subimos de novo na prancha e remei por toda a área.

      Passamos por algumas prainhas pequenas com areia bem clara. Atravessamos um canal estreito, com menos de dois metros de largura, até o outro lado da península. Logo ao lado encontramos uma praia minúscula, paradisíaca, sem nome.

      Voltamos cruzando a lagoa e pudemos ver os primeiros barcos turísticos chegando, depois de duas horas com o lugar todo só para a gente. Nem Brooke Shields teve essa honra!

      Distância = 6 km
      Duração = 1 hora e 50 minutos
      Vento = sem vento
      Ondas = sem ondas
      Cidade = Ilha Grande (Angra dos Reis) - Rio de Janeiro

      Texto e fotos: Daniel Pluk

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Totoralillo
      Coquimbo - Chile
      Added on Wed, 10 Feb 2016 19:55:25 +0000

      Session date : 22/01/2015

      Touring

      3.0 km

      00:50:00

      3.61 km/h

      Enfrentando o Oceano Pacífico
      Pequena travessia em Coquimbo, no Chile

      Mais informações no www.caminhosdosup.com.br

      "Se eu fosse você, não iria", foi o que ouvi do Felipe - dono do quiosque que aluga pranchas de SUP, na Praia de Totoralillo, no Chile. O vento estava muito forte e as ondas imensas. Além do mais, ele disse que nunca saia na maré baixa, por causa das pedras.
      Mas aquele era o único dia e horário que eu poderia remar. Estava na véspera da volta ao Brasil, depois de uma viagem de sete dias pelo Vale do Elqui. Tinha visto que a praia era a melhor da região para a prática de Stand Up Paddle e peguei 25 quilômetros de estrada (saindo de La Serena) só para chegar lá.

      Expliquei que tinha experiência. Contei do Caminhos do SUP. Disse que dava conta. Mesmo assim, Felipe disse que podia ser perigoso, que eu não conhecia as águas do Oceano Pacífico, mas acabou cedendo. Me emprestou uma roupa térmica (a temperatura da água lá é baixa até no verão) e escolheu a prancha mais larga para alugar. Foi comigo até a beirada do quiosque para explicar o melhor caminho para entrar na água, evitando a quebra das ondas e as pedras do fundo.

      Dei uma volta grande até o canto esquerdo. Entrei protegido por uma paredão. Logo que passei a ponta senti o vento me empurrando para trás. As ondas vinham bem grandes e mesmo estando depois da rebentação, elas eram pontudas, difíceis de vencer.

      Minha ideia inicial era contornar a costa, para apreciar de perto a paisagem semiárida. Porém, poucas remadas foram suficientes para perceber que isso não seria possível. Tinha que remar forte, sem parar, sempre contra as ondas e o vento, no máximo uns 30 graus mais aberto. Qualquer variação de curso maior que isso deixava a prancha instável demais.

      Remei, remei, remei e avancei devagar. Depois de quase quarenta minutos, estava em mar aberto e as condições não tinham melhorado. Resolvi voltar, porque já estava cansado e não estava aproveitando tanto.

      E voltar foi uma delícia! As ondas e o vento me levaram muito rápido de volta. Agradeci mentalmente o Felipe por ter escolhido a prancha larga. Era realmente muito eficiente no surf. Foi tão bom que resolvi remar um pouco mais em direção ao mar aberto, para voltar de novo com vento e ondas a favor. Como uma criança que quer ir de novo e de novo no brinquedo do parque de diversões. Maravilha!

      Mais informações podem ser encontradas no site do Felipe, Surf Totorallilo. Ele cobrou 20 mil pesos (equivalente a 80 reais) por uma hora de prancha e roupa. O espaço ainda oferece venda de equipamentos, aulas de Stand Up e surf, half de skate, boulder e alojamento.

      Distância = 3 km
      Duração = 50 minutos
      Vento ida = muito forte, contra
      Vento volta = muito forte, a favor
      Ondas ida = muito fortes, contra
      Ondas volta = muitos fortes, a favor
      Cidade = Coquimbo, próximo a La Serena, no Chile

      Texto e fotos: Daniel Pluk

    • Jeff Locke Avatar

      Jeff Locke at Estacada Lake
      estacada - United States
      Added on Wed, 10 Feb 2016 19:54:18 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Just paddling... :-)

      4.63 km

      02:01:32

      2.20 km/h

      Paddling with Fred

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Trindade
      Paraty - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 19:43:37 +0000

      Session date : 10/04/2015

      Gear used : Art in Surf Touring

      Touring

      6.0 km

      01:10:00

      5.17 km/h

      Piscina Natural de Trindade

      Mais informações no site www.caminhosdosup.com.br

      A vila de Trindade pertence ao município de Paraty e fica relativamente isolada, bem na divisa dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, no pedaço do litoral brasileiro que mais preservou a Mata Atlântica original.

      O cenário é impressionante mas, infelizmente, a vila não conseguiu manter o clima tranquilo de sintonia com a natureza que a fez famosa. Na rua principal, entre pousadas, restaurantes, lojas de biquínis e grandes painéis de propaganda, o trânsito de carros está sempre parado. Às vezes com motoristas apressados, buzinando sem parar.

      Para completar, na Praia de Trindade os bares ocupam toda a faixa de areia com cadeiras, mesas e guarda-sóis. E competem para ver quem coloca a música mais alta.

      A cultura caiçara da pesca e construção de barcos também está se perdendo. Ao contrário de outras praias da região já visitadas pelo Caminhos do SUP, como a Ilha Vitória, o Bonete de Ubatuba, Picinguaba, Parati-Mirim, etc.

      Chegando de carro, estacionei na rua e paguei um guardador que na volta não estava lá. Carreguei a prancha entre as mesas dos bares na Praia de Trindade, tentando não esbarrar nas pessoas. Pulei na água e remei forte contra o vento que me puxava de volta à areia.

      Quando estava quase virando a ponta, percebi que tinha esquecido a água no carro. Voltei para pegar e depois continuei a travessia. Para não dar uma volta maior, passei a ponta entre pedras com ondas grandes quebrando sobre elas. Um pouco instável, mas não foi um desafio tão complicado.

      Com a Praia do Meio e a Praia do Cachadaço à minha direita e vendo a Pedra da Cabeça do Índio à esquerda, remei até a piscina natural conhecida como Cachadaço.

      Lá as pedras formam uma barreira contra as ondas, mesmo com o mar batendo forte, como no dia da minha visita. A água fica totalmente parada. Parece um lago supertransparente. É bonito demais. Cheio de peixes coloridos. Mas a muvuca também é grande (apesar de ser uma sexta-feira comum do mês de abril) e incomoda um pouco. Para fazer as fotos deste post, no entanto, busquei ângulos mais bonitos, que não mostrassem a confusão no local.

      Como o sol já estava atrás das montanhas, fiquei apenas alguns minutos nadando por lá. Voltei rapidinho, antes que escurecesse.

      Distância = 6 km
      Duração = 1 hora e 10 minutos
      Vento = na ida forte, contra até a Ilha de Trindade e lateral até o Cachadaço - na volta médio, lateral no início e a favor no final
      Ondas = grandes: na ida contra até a Ilha de Trindade e lateral até o Cachadaço - na volta, lateral no início e a favor no final
      Cidade = Paraty, Rio de Janeiro

      Texto e fotos: Daniel Pluk

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Praia do Pulso - Caçandoca - Maranduba (Ubatuba)
      Ubatuba - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 19:25:36 +0000

      Session date : 15/05/2015

      Gear used : Art in Surf Touring

      13.0 km

      02:30:00

      5.20 km/h

      Stand Up da Maranduba à Caçandoca
      Travessia de rio e mar em Ubatuba - SP

      Mais informações no www.caminhosdosup.com.br

      Em um dia de semana sem muito movimento, aproveitei para fazer uma travessia que "namorava" há algum tempo: fui às praias da Maranduba e Caçandoca, que ficam cheias de gente aos finais de semana. Saindo da estrada Rio-Santos, entrei no bairro da Maranduba em busca do ponto perfeito para ingressar no rio. Para encontrá-lo, tinha feito antes uma busca no Google Maps, mas não deu certo. O espaço sem casas nem mata fechada que tinha visto do satélite era muito íngreme e não daria pra descer com a prancha. Os moradores sugeriram que tentasse um lugar mais próximo ao mar, mas o que eu queria era justamente dar uma volta grande no rio. Finalmente encontrei um ponto mais acima, em uma estrada de terra que ia direto à agua.

      Para não deixar o carro no meio da rua estreita, um morador ofereceu sua casa para eu estacionar. Tirei a prancha de Stand Up e carreguei até o rio. Mesmo no meio do bairro, as margens são bem arborizadas e quase não se ouve o barulho dos carros. Vi muitos pássaros, alguns pescadores, passei sob pontes (inclusive sob a Rio-Santos) até chegar na foz. Algumas ondinhas e vento fraco contra atrapalharam, mas nada muito complicado.

      Remei até a Praia do Pulso, onde desci para dar uma volta. O condomínio fechado tem um gramado comunitário superbonito de frente pro mar. Gostei bastante da arquitetura de algumas casas, mas o que chama mesmo a atenção é o mosteiro com estilo medieval no alto da encosta. Ele ocupa um terreno de quase 9 mil m² e pertence a dissidentes da TFP (ramificação ultraconservadora da igreja católica) chamados Arautos do Evangelho. A construção destoa totalmente do cenário tropical. Além disso há muito mistério sobre o grupo religioso. Dizem que é financiado por uma corporação imobiliária americana e até que há um plano de transformar o mosteiro num resort temático.

      Mistérios à parte, voltei pra prancha de SUP e remei até a Praia da Caçandoca, onde existe uma comunidade quilombola. Minha intenção inicial era desembarcar na praia, mas vi um grupo de golfinhos e resolvi segui-los. As ondas ficaram cada vez maiores, mesmo estando bem afastado da praia. Os parcéis (pedras enormes no meio do mar) faziam as ondas quebrarem e tive que me concentrar pra não cair. Vi os golfinhos subirem e descerem muitas vezes mas não consegui fotografá-los.

      Cansei de remar contra as ondas e o vento e resolvi voltar, dando a volta na Ilha da Maranduba. No lado virado pra dentro há uma praia pequena e bonita. No canto, ao lado das pedras, achei uma bica de água doce, limpa o suficiente para matar minha sede.

      Descansei um pouco e segui até a entrada do rio, mais surfando que remando. Continuei rio acima até o ponto de partida, finalizando minha travessia.

      Distância = 13 km
      Duração = 2 horas e 30 minutos
      Vento no rio = sem vento
      Vento no mar = fraco até a Praia do Pulso e forte depois da Praia do Pulso, vindo do oceano
      Ondas = fracas em quase todo o trajeto e fortes entre a Praia do Pulso e a Ilha da Maranduba, vindas do oceano
      Cidade = Ubatuba

      Texto e fotos: Daniel Pluk

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Praia da Ponta Negra - Praia do Sono - Laranjeiras (Paraty)
      Paraty - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 19:10:52 +0000

      Session date : 10/04/2015

      Gear used : Art in Surf Touring

      Touring

      13.5 km

      02:30:00

      5.40 km/h

      Remando com os Índios Tupinambás
      Uma aventura antropofágica

      Mais informações no www.caminhosdosup.com.br

      Em pé na prancha de Stand Up, parei de remar antes da Praia de Antiguinhos, um dos lugares mais isolados do litoral brasileiro. Tinha visto uma tartaruga com mais de um metro de comprimento e comecei a prestar mais atenção na paisagem. Em volta da areia e sobre as pedras a floresta era muito densa. Só ouvia o som das ondas e os pássaros cantando. Nenhuma pessoa por perto. Nenhuma construção. Deitei na prancha e imaginei o que aconteceria se eu entrasse num túnel do tempo e fosse transportado para 500 anos atrás... Incrivelmente nada, pensei. O cenário seria exatamente o que estava na minha frente. Só, talvez, algum índio Tupinambá apareceria em cima de uma pedra com seu arco e flecha apontados para mim.

      Eu remaria com força em direção ao oceano, tentando escapar. Mas o índio me acertaria em cheio na perna, me deixando incapaz de seguir em frente. Ele correria até a praia para chamar os amigos. De longe eu veria os corpos morenos de sol pintados de vermelho e preto, e os cabelos raspados no alto.

      Os índios empurrariam uma canoa feita da casca de uma árvore até a água e viriam me buscar. Ao se aproximarem, eu poderia ver os rostos deles com pedras pendendo de buracos abaixo da boca e nas bochechas. Em volta do pescoço haveria colares feitos de conchas. Penas vermelhas enfeitariam a cabeça e os braços.

      Chegariam gritando na língua Tupi (que eu não entendo), mas deixariam bem claro que me levariam para ser comido num ritual antropofágico. Fazendo mímicas, morderiam os próprios braços enquanto olhavam para mim, com um sorriso sádico no canto da boca.

      Rindo dos meus próprios pensamentos, levantei da prancha e continuei a travessia de SUP. Naquele dia, tinha acordado bem cedo em Ubatuba-SP, dirigido até o município de Paraty-RJ e pegado uma pequena estrada que leva à vila de Trindade. No caminho desviei para o Condomínio Laranjeiras. Dentro da Área de Proteção Ambiental Cairuçu e ao lado da Reserva Ecológica Juatinga, ele foi construído na década de 1970, tem campos de golfe, heliponto com estacionamento para vários helicópteros, fitness center, quadras de tênis, restaurantes, etc.

      Passei pela primeira portaria falando que iria à Praia da Ponta Negra, sem problemas. Na segunda, já informaram que apenas condôminos são autorizados a entrar. Para seguir às outras praias (por trilha ou mar) teria que pegar a Kombi do próprio condomínio até uma área cercada e guardada por um segurança enorme, tipo halterofilista.

      O motorista disse que não era autorizado a transportar pranchas e tive que insistir muito até conseguir a liberação. Dentro do cercadinho, esperei o barqueiro Mizael (telefone 024-99222-9880), que não chegou no horário combinado, mas me levou rapidamente à Praia da Ponta Negra, pequena comunidade de pescadores onde comecei a travessia.

      Com vento favorável em quase todo o trajeto, continuei para as praias de Antiguinhos, Antigos, Sono e de volta a Laranjeiras. Em Antiguinhos me senti tão sortudo de estar sozinho naquele lugar deslumbrante, que alucinei com os índios Tupinambás.

      Depois, em Antigos, tive dificuldades para desembarcar. As ondas quebravam forte, mesmo no canto esquerdo, mais protegido, perto das pedras. Acabei caindo da prancha onde já dava pé, mas a correnteza era tão forte que precisei subir de novo e remar mais um pouco de joelhos até chegar na praia. Lá havia dois grupos pequenos de turistas. Acabei conversando com uma turma de Brasília que estava hospedada em Trindade e tinha vindo pela trilha.

      Voltei pra água e aproveitei um curto momento de ondas menores para atravessar a rebentação. Segui até a Praia do Sono, uma comunidade caiçara de 500 habitantes no pé do Pico Barracão (ou Pedra da Jamanta) com 1098m de altitude, a maior montanha da região. Almocei um PF de peixe e fiz metade da trilha que leva à Praia de Antigos, para ver a vista de cima.

      Desci, peguei a prancha de SUP e voltei remando até o cercadinho no condomínio Laranjeiras. Enquanto esperava a Kombi, o segurança musculoso falou que eu era louco de fazer aquela travessia, que era muito perigosa. Eu dei risada pensando como os moradores da região mudaram de 500 anos pra cá!

      Distância = 13,5 km
      Duração = 2 horas e 30 minutos
      Vento = fraco, a favor
      Ondas = médias, laterais
      Cidade = Paraty, Rio de Janeiro

      Texto e fotos: Daniel Pluk

    • Matt Hernandez Avatar

      Matt Hernandez at gulfport lake
      Gulfport - United States
      Added on Wed, 10 Feb 2016 19:08:29 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Just paddling... :-)

      9.34 km

      01:31:38

      6.18 km/h

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Praia da Palmira (Ubatuba)
      Ubatuba - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 18:36:35 +0000

      Session date : 17/10/2015

      Gear used : Art in Surf Touring

      Touring

      5.5 km

      02:00:00

      2.75 km/h

      Travessia de Stand Up em Grupo
      Excursão em Ubatuba
      Mais informações no www.caminhosdosup.com.br

      "Se dermos sorte, vamos encontrar golfinhos", foi o que falei para o grupo que me seguia. Era a primeira vez que guiava uma turma de desconhecidos a convite da agência de turismo Ecovaletur. Fui chamado para desenvolver roteiros e guiar grupos de stand up paddle na região de Ubatuba. A travessia de estreia saiu da Praia Domingas Dias e terminou na Praia Dura, passando pela Praia da Palmira e pelo rio Folha Seca.

      O grupo era formado principalmente por pessoas sem experiência com prancha, mas entusiastas dos esportes de aventura e do ecoturismo. Mesmo naquele dia chuvoso, estavam superanimados, ansiosos pra começar.
      Antes de subir nos SUPs, expliquei um pouco sobre as técnicas de ramada, equilíbrio, etc. Eles aprenderam rápido e logo deixamos a Domingas Dias em direção à Praia da Palmira. Poucos minutos depois, a sorte. Encontramos golfinhos. Primeiro os vimos de longe, mas logo se aproximaram. Eles subiam e desciam, dando um show para o grupo.

      Quando desembarcamos na pequena Praia da Palmira, estavam todos apaixonados pelo Stand Up. Aproveitei para declarar meu próprio amor, rs. Falei como é um esporte ideal para contemplar. O oposto de uma lancha ou jet-ski. Como visitar uma cidade a pé em vez de fazer o tour de ônibus. Todos concordaram. E ainda ficaram encantados com a Praia da Palmira, que quase ninguém conhece. Não tem acesso por trilha e é difícil de chegar de barco (mais detalhes na travessia narrada aqui).

      De lá, seguimos lentamente para a Praia Dura. Até chegamos a parar e deitar nas pranchas pra curtir o balanço das ondas e o silêncio do mar. Ao chegar perto do rio umas ondinhas começaram a quebrar. Deu até pra dar uma surfada.

      Continuamos rio acima, passando sob a estrada Rio-Santos, nos entranhando no mangue. À medida que o rio ficava mais estreito, apareceram mutucas (insetos grandes que picam) e resolvemos voltar. Mesmo com chuva e um pouco de frio, foram duas horas muito agradáveis e que com certeza iremos repetir.

      Distância = 5,5 km
      Duração = 2 horas
      Ondas = fracas, a favor
      Vento = fraco, a favor
      Cidade = Ubatuba

      Texto e fotos: Daniel Pluk

    • Daniel Pluk Avatar

      Daniel Pluk at Rio de Trancoso
      Trancoso, bahia - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 18:24:37 +0000

      Session date : 14/09/2015

      Touring

      3.0 km

      01:03:00

      2.00 km/h

      Mais informações no www.caminhosdosup.com.br
      Trancoso já foi um destino de aventureiros. Na década de 1970, moradores de fora da Bahia, principalmente hippies de São Paulo e Rio de Janeiro se mudaram pra lá. Agora com a estrada asfaltada, a vila virou destino de jet setters. Vive recebendo celebridades do mundo todo.

      Para quem gosta de Stand Up Paddle também é um paraíso. Dá pra fazer longas travessias até praias mais distantes (de preferência a favor do vento - que lá é bem forte), dar pequenos passeios até os recifes e bancos de areia que ficam na frente das praias, ou ainda explorar a água doce do rios.

      Como tive pouco tempo lá e estava sem carro, acabei fazendo o passeio no rio Trancoso que fica em frente ao Quadrado (centrinho da vila), entre as praias Dos Nativos e Dos Coqueiros. O visual é incrível, lindo demais. Só não dá pra ir muito longe, porque a margem estreita depois de uns 2 km. É perfeito para iniciantes. O que também foi ótimo, porque levei alguns amigos menos experientes.

      Pegamos as pranchas numa barraquinha ao lado do rio com um rastafári gente boa, conhecido como Peixe. Negociando um pouco ele fechou quatro pranchas por 120 reias, para 45 minutos. No final ficamos 1 hora sem nenhum acréscimo.

      As duas pranchas que o Peixe deixa na praia são grandes e pesadas, boas para quem está começando, pois são mais estáveis. Mas ele tem guardados outros modelos mais rápidos, que eu prefiro.

      O passeio foi tranquilo. Remamos bem devagar, curtindo o visual do mangue. Na volta tentamos passar para o mar, direto do rio. Estava cheio de ondas, correnteza e vento contra. Não conseguimos, mas foi bem divertido!

      Distância = 3 km
      Duração = 1 hora
      Vento = sem vento
      Cidade = Trancoso, Porto Seguro - Bahia

      Mapa da travessia de SUP em Trancoso, na Bahia

      Texto: Daniel Pluk

    • Avatar

      Erick Ahrens Erick at praia alegre
      Penha - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 15:23:30 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : Kahuna SC Big Kahuna #001

      Just paddling... :-)

      2.7 km

      00:34:00

      4.82 km/h

    • Adriana Silva Avatar

      Adriana Silva at Boca da Barra
      Rio das Ostras - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 13:14:28 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : Honu Brasil Honu Brasil & Soulfins padrão

      Long distance

      3.77 km

      00:56:37

      4.05 km/h

    • Marcio Santos Avatar

      Marcio Santos at ilha das vacas - ilha de bom jesus - loreto
      Salvador - Brazil
      Added on Wed, 10 Feb 2016 12:33:29 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Long distance

      9.71 km

      01:52:57

      5.22 km/h

    • Anthony Johnston Avatar

      Anthony Johnston at Pimpama Creek, Jacobs Well, Queensland Australia
      Jacobs Well - Australia
      Added on Wed, 10 Feb 2016 09:00:44 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : SIC 14 X Pro & QuickBlade Trifecta

      Fitness

      8.08 km

      01:22:24

      5.94 km/h

      Kangaroos in the bush , ( see photo , need to enlarge ). Another fantastic sunset. What a beautiful day . Totally forgot about work & simply indulged in the moment. Great to be SUPing .
      Have a great day everyone .

    • ll ll Avatar

      ll ll at narrow neck
      Auckland - New Zealand
      Added on Wed, 10 Feb 2016 06:11:27 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Just paddling... :-)

      3.11 km

      00:41:55

      4.57 km/h

    • Nicole Rogers Avatar

      Nicole Rogers at Mandurah canals
      Halls Head - Australia
      Added on Tue, 09 Feb 2016 23:59:40 +0000

      Session date : 10/02/2016

      Gear used : Molokai Molokai & SUPer Paddle Carbon

      Just paddling... :-)

      3.36 km

      00:51:28

      3.96 km/h

      Reverse cycle

    • Florian Macia Avatar

      Florian Macia at PaddleSurf Marbella
      Marbella - Spain
      Added on Tue, 09 Feb 2016 22:22:39 +0000

      Session date : 09/02/2016

      Gear used : SIC Recon 9'9" & Quickblade Kanaha All Carbon Fixed

      Surf

      Sesión de olas en Marbella

    • Jonathan Busby Avatar

      Jonathan Busby at Lac long
      St-Adolphe d'howard - Canada
      Added on Tue, 09 Feb 2016 21:52:35 +0000

      Session date : 24/12/2015

      It was Nnnn..Ice session ! ;-)

    • Avatar

      Artie Ahier at Tofino
      Tofino - Canada
      Added on Tue, 09 Feb 2016 21:47:34 +0000

      Session date : 09/02/2016

      Just paddling... :-)

      4.5 km

      01:05:25

      2.50 km/h

    • Marcel Radicchi Avatar

      Marcel Radicchi at Piraju
      Unknown - Brazil
      Added on Tue, 09 Feb 2016 16:20:29 +0000

      Session date : 18/09/2015

      Downwind

      3.92 km

      02:15:08

      1.74 km/h

    • Tony Stos Avatar

      Tony Stos at Praia Grande - Canto do Forte
      Praia Grande - Brazil
      Added on Tue, 09 Feb 2016 13:05:10 +0000

      Session date : 09/02/2016

      Gear used : New Advance Beginner & New Advance Leco Salazar

      Just paddling... :-)

      4.42 km

      01:09:11

      3.85 km/h

      Carnaval... Brasil

    • Rodrigo Araki Avatar

      Rodrigo Araki at Rio pequeno billings
      São Bernardo do Campo - Brazil
      Added on Tue, 09 Feb 2016 12:57:26 +0000

      Session date : 09/02/2016

      Just paddling... :-)

      1.75 km

      00:26:02

      4.08 km/h